Bolsonaro confirma pagamento de quarta parcela do Auxílio Emergencial, mas diz que não será de R$ 600

Para o Governo, não se pode continuar pagando R$ 600 “porque aí ninguém vai querer ir mais trabalhar” (Foto: agência senado)

O Presidente da República, Jair Bolsonaro, confirmou que deve pagar uma quarta parcela do Auxílio Emergencial. A declaração foi dada na última sexta-feira (22) durante entrevista à rádio Jovem Pan de São Paulo. Atualmente o valor pago é de R$ 600 mas Bolsonaro afirmou que o valor da quarta parcela deverá ser menor.

Bolsonaro disse ter conversado com o ministro da Economia, Paulo Guedes, mas disse que os valores ainda não estão definidos. O Presidente ainda disse que poderá haver também o pagamento de uma quinta parcela, que seria menor do que a quarta.

“Conversei com o Paulo Guedes que nós vamos ter que dar uma amortecida nisso aí. Vai ter a quarta parcela, mas não de R$ 600. Não sei quanto vai ser, R$ 300, R$ 400. E talvez tenha a quinta, talvez seja R$ 200 ou R$ 300. Até para ver se a economia pega”, afirmou Bolsonaro.

Na quarta-feira (20), o ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que não será possível continuar pagando por mais tempo o auxílio no valor de R$ 600, porque “aí ninguém trabalha, ninguém sai de casa e o isolamento vai ser de oito anos porque a vida está boa, está tudo tranquilo”, disse o ministro.

Senadores reagiram à afirmação. “Não há uma disposição da parte dele de prorrogar e, se prorrogar, será por R$ 200, contrariando todo um debate que foi construído e capitaneado pelo Congresso Nacional”, disse a senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA), durante a sessão do Congresso na quinta-feira (21). Além da crítica à diminuição do valor do auxílio emergencial ou ao fim do pagamento, senadores lembraram que a população já vem sofrendo com a lentidão e a burocracia na autorização do benefício. Há famílias que ainda não receberam nem a primeira parcela, cujo pagamento estava previsto para abril.

“A vida está boa para você e seus amigos banqueiros Guedes, não para o povo. Antes de negar a ampliação do auxílio, o governo deveria pensar primeiro em pagar aos brasileiros. Estamos indo para terceira parcela e milhares de brasileiros não receberam nem a primeira”, registrou o senador Rogério Carvalho (PT-SE) no Twitter.

 

Com informações da Agência O Globo e da Agência Senado